O governador Jaques Wagner, do PT, lidera a corrida eleitoral ao governo da Bahia com 44% das intenções de voto, ante 23% de Paulo Souto (DEM) e 12% do peemedebista Geddel Vieira Lima, segundo a pesquisa Datafolha. Luiz Bassuma (PV) e professor Carlos (PSTU) têm 1% cada. Já Marcos Mendes (PSOL) e Sandra Santa Bárbara (PCB) não pontuaram. De modo geral, o resultado parece não ter decepcionado os três principais candidatos ao Palácio de Ondina.

Se as eleições fossem realizadas hoje, Jaques Wagner seria eleito no primeiro turno. Cauteloso, ele fala que essa é a 15ª pesquisa consecutiva desde novembro que indica sua vitória sem a necessidade do segundo turno. Entretanto, ele observa que “pesquisa não ganha eleição”.

“O melhor exemplo sou eu”, diz o petista, lembrando sua vitória surpreendente em 2006, quando todas as pesquisas de opinião, ao longo da campanha, apontavam para a reeleição de Paulo Souto com larga vantagem. Segundo o governador, a palavra de ordem é “sebo nas canelas, sola de borracha nos sapatos, muita caminhada e trabalho, com humildade”.

Paulo Souto acredita que a vantagem do seu oponente deve-se a um “trabalho agressivo de publicidade do governo” e ainda assim, diz ele, o cenário não mudou muito desde o início do ano. De acordo com Souto, a campanha está apenas começando. Ele aposta no início do horário político no rádio e na TV para a reversão do quadro. “A tendência é de segundo turno na Bahia”, afirma.

Já Geddel Vieira Lima diz que não discute resultado de pesquisa, apenas acata. “Vamos continuar trabalhando forte. Vamos ganhar. O meu sentimento das ruas é excepcional”, concluiu. O levantamento foi feito de terça a sexta-feira com 1.086 entrevistas. Não opinaram 13% dos eleitores e 6% disseram que votarão nulo ou em branco. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo de número 19.890/2010.