Finalmente o Senado conseguiu definir os nomes dos três relatores do Conselho de Ética que deverão apreciar a representação feita pelo PSOL contra o presidente da casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), por quebra de decoro parlamentar.

A oposição, no caso o PSDB e o DEM, indicou o nome da senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), para integrar o trio. A oposição, por sua vez, acabou aceitando a indicação de Almeida Lima (PMDB-AL), como representante da cota destinada ao PMDB, partido com maior representação no Senado. A oposição aceitou porque não tinha outra alternativa e para não criar um impasse ainda maior.

Almeida encontrava resistências porque é desde o começo um fiel e ferrenho defensor de Renan, um dos poucos a sair em defesa do presidente da Casa. E a cota destinada à base aliada foi preenchida com a indicação do senador Renato Casagrande (PSDB-ES), que defende o aprofundamento das investigações contra o acusado.

O presidente do Conselho de Ética, Leomar Quintanilha (PMDB-TO), marcou para hoje uma reunião com os novos relatores do processo.