Com quadro reduzido após a formação do PSD e ainda tentando se recuperar dos abalos provocados pelos últimos escândalos envolvendo o senador Demóstenes Torres (ex-DEM, sem partido), o DEM assegura apoio a José Serra (PSDB) em São Paulo mesmo sem a garantia de ocupar a vice na chapa e uma aliança na disputa pela Prefeitura de Salvador.

O tom resignado foi dado nesta quinta por líderes do partido em evento realizado na capital paulista. O próprio pré-candidato do DEM em Salvador, deputado federal ACM Neto, admitiu que uma aliança com os tucanos ainda precisa ser consolidada.

“A primeira e mais importante conversa sobre alianças é com o PSDB e nossa perspectiva é fechar o entendimento semana que vem”, disse.

Embora o apoio a Serra não esteja condicionado à indicação do candidato a vice, o presidente da executiva estadual do DEM em São Paulo, Jorge Tadeu Mudalen, torce para que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) não conceda tempo de TV ao partido do prefeito Gilberto Kassab (PSD). “Sabemos que a decisão do vice está condicionada a isso. Se eles perderem, nós temos mais tempo de TV a oferecer e é natural que sejamos nós a compor a chapa”, avaliou. “Não abrimos mão (da indicação do vice), mas deixamos o Serra à vontade. Uma vez o tempo vindo para o DEM, nos fortalece nessa discussão.”

O DEM agrega 1 minuto e 41 segundos à cada inserção na TV e no rádio. O PSD espera conseguir pelo menos 2 minutos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.