O DEM do Paraná manteve silêncio sobre as denúncias de ligação de lideranças estaduais do partido com o esquema de corrupção comandado pelo ex-governador José Roberto Arruda no Distrito Federal.

A reportagem de O Estado voltou a procurar, ontem, os nomes citados pela revista Carta Capital, em reportagem na edição desta semana que coloca os deputados federais paranaenses Cássio Taniguchi e Alceni Guerra, ex-integrantes do governo Arruda, como homens fortes das articulações do DEM do Distrito Federal, mas nenhum deles atendeu ou retornou as ligações. Assim como o presidente do DEM na época, deputado federal Abelardo Lupion.

O único que atendeu foi o atual presidente do partido, Durval Amaral, que assumiu a legenda com o pedido de afastamento de Lupion. Durval, no entanto, disse que está passando o feriado em campanha no interior do Estado e que, por isso não teve acesso às reportagens da Carta Capital e de O Estado do Paraná.

“Mas toda e qualquer denúncia tem de ser investigada. Assim que retornar buscarei as reportagens para saber os termos das denúncias e, se necessário, tomar as providências”, prometeu.