O presidente da CPI da Petrobras, Hugo Motta (PMDB-PB), informou, na manhã desta terça-feira, 10, que o depoimento do ex-gerente-executivo da Diretoria de Serviços da Petrobras Pedro Barusco será aberto, mas sem a presença de profissionais de imagem (fotógrafos e cinegrafistas). A decisão teria sido tomada após um pedido da defesa de Barusco.

Ao abrir a sessão, Motta informou que o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), pediu para ser ouvido na próxima quinta-feira, 12, na comissão. O depoimento do peemedebista será feito no mesmo dia da oitiva do ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli.

Neste momento, o deputado Ivan Valente (PSOL-SP) pede que sejam votados o requerimento de convocação de todos os investigados da Operação Lava Jato e que o depoimento de Cunha fique para outra ocasião, seguindo uma ordem de prioridade. “A CPI deveria escolher o melhor momento para ouvir esse depoimento. Isso pode ser prejudicial”, apelou Valente.