Citado nas investigações da Operação Carne Fraca e acusado de ter feito pressão por indicação política para o Ministério da Agricultura, o deputado Sérgio Souza (PMDB-PR) foi eleito na manhã desta quinta-feira (23) presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara Federal. Embora tenha sido citado nas investigações, o deputado paranaense não é alvo da operação.

Souza anunciou que sua primeira medida no comando da Comissão de Agricultura será convocar uma audiência pública para discutir as implicações da Operação Carne Fraca. Segundo a assessoria de imprensa do deputado paranaense, o objetivo da reunião será discutir questões técnicas e comerciais.

Acusações e citações

Sérgio Souza, juntamente com o ministro da Justiça e deputado licenciado Osmar Serraglio, foi acusado na terça-feira (21) pela senadora e ex-ministra da Agricultura Kátia Abreu (PMDB-TO) de ter feito “pressão nunca antes vista” para manter Daniel Gonçalves Filho na superintendência da Agricultura no Paraná. Gonçalves Filho é apontado pela investigação da Carne Fraca como chefe do esquema de corrupção na fiscalização agropecuária.

Souza e Serraglio negam ter feito pressão. Souza ainda afirmou, em nota, que a indicação de Gonçalves Filho foi feita pela bancada do PMDB do Paraná e que a decisão final sobre nomeações coube à então ministra.

Sérgio Souza também é citado no despacho judicial que autorizou a Operação Carne Fraca, feito pelo juiz federal Marcos Josegrei da Silva. Souza aparece no despacho porque um dos alvos da investigação é um ex-assessor parlamentar do paranaense, Ronaldo Troncha.

Em nota, Sérgio Souza informou que Troncha não é mais seu assessor desde o ano passado e que os fatos investigados pela Carne Fraca não se referem ao período em que ele trabalhou em seu gabinete.

Indicação do PMDB

A Câmara instala nesta quinta-feira suas 25 comissões permanentes. Os nomes dos comandantes de cada uma são indicados pelos partidos. No caso da Comissão da Agricultura, a indicação cabia ao PMDB. O colegiado que será comandado por Sérgio Souza é composto por 48 deputados.