Cada um dos 85 deputados federais que são candidatos a prefeito e vice-prefeito nestas eleições, gasta em média R$ 5,4 mil em despesas com transporte e estadia ao mês. Eles apresentam recibos e depois são indenizados pelas casas legislativas onde atuam.

Esta é foi uma das informações divulgadas ontem pela organização Transparência Brasil que fez uma análise das verbas indenizatórias a que os parlamentares têm direito. Três deputados paranaenses são citados na pesquisa.

Na Câmara dos Deputados, o campeão em despesas com transporte é Jorge Tadeu Mudalen (DEM) de São Paulo com R$ 234.524, seguido de Cristiano Matheus (PMDB) de Alagoas com R$ 226.107. Os três deputados paranaenses que concorrem à eleição são de Londrina.

André Vargas (PT) aparece com R$ 114.473, Barbosa Neto (PDT) R$ 98.095 e Luiz Carlos Hauly (PSDB) com R$ 71.962. Incluindo outros gastos como consultorias, divulgação e aluguel os valores sobem. André Vargas recebeu até agora de verba indenizatória R$ 246.039,69; Barbosa Neto R$ 218.449 e Hauly R$ 218.449.

As informações divulgadas se referem também a outras cinco das 55 casas legislativas que existem no país: Senado, Câmara dos Deputados, Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, Assembléia Legislativa de São Paulo, Câmara Municipal de Porto Alegre e Câmara Municipal de São Paulo.

A Câmara Distrital do Distrito Federal também integra o projeto mas ficou de fora do estudo porque não há eleição este ano. A análise das demais casas legislativas não pode ser feito porque não publicam o balanço de suas contas na internet.

No documento, o Transparência Brasil questiona o benefício oferecido aos parlamentares, pois as casas legislativas já contam com estruturas de assessoria e comunicação para apoiar as atividades parlamentares.

A organização afirma também que periodicamente surgem denúncias de que parlamentares usam tais recursos em suas campanhas eleitorais. A falta de transparência relativa a tais gastos e as altas quantias informadas reforça as dúvidas a respeito do seu uso.

O documento revela ainda outros dados. Na média mensal, cada deputado federal gasta, apenas em divulgação e consultoria, o equivalente a cinco vezes o piso nacional dos professores da rede pública, que em julho foi estabelecido em R$ 950. Além disto, dez deputados-candidatos são “indenizados” em mais de R$ 5,5 mil ao mês por despesas de aluguéis.

No senado, os legisladores gastam em média R$ 8 mil com transporte e estadia; na AL de São Paulo, os 28 parlamentares-candidatos são “indenizados”, na média, em quase R$ 4 mil por mês com despesas com consultorias e divulgação.