Foto: Chuniti Kawamura

Medida evitaria demora.

A Assembléia Legislativa aprovou em primeira discussão, ontem, o projeto de lei que isenta motocicletas e similares do pagamento do pedágio nas rodovias estaduais. A medida tem como objetivo contemplar parcela de veículos que, por suas características, não causa danos à pavimentação das estradas e rodovias.

A proposta foi apresentada pelos deputados Mauro Moraes (PMDB), Doutor Batista (PMN), Ademar Traiano (PSDB), Cleiton Kielse (PMDB) e Edgar Bueno (PDT). Entre as justificativas para a isenção, os parlamentares apontam a demora do atendimento e as conseqüentes reclamações de outros usuários, enquanto esperam nas filas de cobrança.

Mauro Moraes afirma que o tempo despendido pelos motociclistas é consideravelmente maior para pagar o pedágio. ?Além disso, a relação custo/benefício não justifica a cobrança da tarifa das motos e bicicletas motorizadas?, ressalta. Segundo o deputado, as motos são veículos que menos congestionam o trânsito. ?Por isso, parece justo que mereçam atenção especial pelo que representam em termos de diminuição do volume do tráfego e até mesmo do estresse ocasionado pelos engarrafamentos?, argumenta.

Impacto

?Hoje, no Paraná, a motocicleta paga a metade do preço de um veículo. Estamos mostrando aos concessionários que o impacto financeiro é ínfimo. A proposta vem na esteira das mudanças que estamos propondo ao pedágio no Paraná. Não pode um motociclista pagar R$ 10,00 para ir e voltar ao litoral se não gasta isso de combustível?, disse Cleiton Kielse.