O presidente da Câmara Municipal de Curitiba, João Cláudio Derosso (PSDB), através de seus advogados, protocolou nesta quarta-feira no Conselho de Ética a sua defesa no caso dos escândalos envolvendo licitações em contrtos de publicidade que beneficiaram a sua mulher, Cláudia Queiroz. O objetivo da medida é para barrar o avanço da recomendação do relator do Conselho, Jorge Yamawaki (PSDB), que aconselhou o afastamento do presidente da Câmara de suas funções pelo prazo de noventa dias.

Os vereadores Pastor Valdemir Soares (PRB), Noêmia Rocha (PMDB) e Dirceu Moreira (PSL), integrantes do conselho, vão analisar a defesa do tucano nos próximos dias para emitirem um parecer, se decidem ou não pelo afastamento de Derosso de suas funções. Se eles decidirem pela recomendação do relator, contra os argumentos dos advogados do vereador tucano, o afastamento de Derosso deve ainda enfrentar os integrantes da Comissão de Legislação e Justiça do Legislativo municipal, para, finalmente, ser avaliado em plenário por todos os vereadores.