A presidente Dilma Rousseff aproveitou a cerimônia de entrega do Prêmio Anísio Teixeira para professores universitários para defender o que chamou de “herança bendita” recebida do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Essa afirmação serve de resposta a alguns críticos que vinham se queixando dos gestos de afeto da presidente Dilma ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e a alguns sinais de que ela poderia se afastar do governo anterior.

Repetindo o gesto que fez na quinta-feira passada, no Rio de Janeiro, Dilma citou pelo menos três vezes o ex-presidente Lula em seu discurso. “Eu herdei uma herança bendita no que se refere a educação. A herança do governo do presidente Lula”, disse Dilma, reconhecendo que houve avanços no setor de educação antes dessa fase, como lembraram alguns dos homenageados presentes, mas ressaltando que foi a partir de 2003 que se deu a valorização do ensino público e que se passou a lutar por um processo mais sofisticado de educação.

A presidente assegurou que é um compromisso do seu governo aprofundar a conquista de vários anos no processo educacional e fez questão de dizer que tem muito orgulho do fato do presidente Lula ter criado, no período de 2003 a 2010, quando também fez parte do governo, mais escolas técnicas do que nos 100 anos anteriores.