A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, visitou rapidamente na tarde de hoje o centro da cidade de Suzano, na região metropolitana de São Paulo. A passagem da petista pelas ruas do centro foi marcada por muita confusão, diante da presença de milhares de pessoas que tentavam se aproximar da presidenciável. A candidata permaneceu por cerca de 10 minutos na cidade, em trajeto feito em carro aberto. Dilma foi acompanhada pela senadora eleita Marta Suplicy (PT), pelo senador Aloizio Mercadante (PT) e pelo presidente do PT em São Paulo, Edinho Silva.

O trajeto em Suzano estava cercado por grades, o que tumultuou ainda mais sua passagem, principalmente quando a candidata precisou deixar o local e entrar em outro carro, que a transportou para o município de Ferraz de Vasconcelos. Antes de chegar a Suzano, Dilma fez uma visita rápida a Guarulhos, também na região metropolitana de São Paulo. A petista caminhou por cerca de 10 minutos no calçadão do centro da cidade e sua passagem causou confusão entre os transeuntes.

Na caminhada, a petista foi protegida por um cordão de isolamento, formado por seguranças, o que também impediu que populares se aproximassem dela. Assim que deixou o local, um homem, frustrado por não ter tido contato com Dilma, quebrou o cabo de uma bandeira na cabeça de um dos seguranças. O segurança agredido se irritou, mas foi contido por colegas logo que ameaçou reagir à investida. Em Guarulhos, a candidata caminhou ao lado de Marta Suplicy e do deputado federal José Eduardo Cardozo (PT-SP), um dos coordenadores da campanha da petista.