Em visita às obras da plataforma P-74 no estaleiro Inhaúma, na zona portuária do Rio, a presidente Dilma Rousseff lembrou, em discurso aos operários, que o estaleiro irá construir também a P-75, P-76 e P-77. Se dizendo emocionada de ver a retomada da indústria naval, ela declarou que a política do governo resultou na multiplicação dos empregos no setor. “O resultado dessa luta é de que de quase 2 mil empregos em 2003, hoje os estaleiros chegam a ter quase 70 mil empregos”, disse Dilma, afirmando que a indústria naval brasileira será “uma das maiores do mundo”.

“O que eu vejo hoje aqui mais uma vez foi o acerto da decisão e da luta para que construíssemos o que fosse possível aqui no Brasil e acreditássemos na qualidade do trabalhador. Que tinham capacidade de criar riqueza, produzir plataforma, sonda, tudo aquilo que a indústria de petróleo e gás tinha poder de consumir, de demandar. (…)Chegamos onde chegamos porque tivemos a capacidade de confiar em nós. Sobretudo nos trabalhadores desse País”, disse Dilma, afirmando que, antes, era o Japão, Coreia e Cingapura que se beneficiavam com as encomendas navais brasileiras.