A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, rebateu hoje, em Brasília, as críticas de que precisou recorrer ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva para defendê-la, no horário eleitoral, do escândalo da quebra de sigilos na Receita Federal. Segundo ela, o depoimento de Lula foi institucional e ele não falou em baixaria. Ela afirmou que é o seu adversário José Serra (PSDB) que vem criando “factoides, falsidades e baixaria” contra ela. A petista enfatizou que responde por si mesma as declarações, mas que Lula complementou os argumentos dela.

Dilma também repudiou as insinuações da oposição de que ela teria começado a cair nas pesquisas por causa das denúncias de envolvimento do PT com as quebras de sigilo. “Há um salto mortal entre os vazamentos da Receita e a minha campanha. O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) já afirmou que não há nenhuma evidência, nenhuma prova, de envolvimento da minha campanha com os vazamentos. Isso insinuações de queda nas pesquisas é mais um factoide da oposição”, disse.

E a candidata ainda completou: “Estamos tranquilos com a situação. O povo brasileiro é um povo pacífico que gosta do diálogo”, afirmou ela, sugerindo que o eleitor não gosta do clima acirrado na campanha.