Os três diretores da Fundação Copel de Previdência e Assistência Social apresentaram no início da tarde de ontem uma carta renunciando aos cargos que ocupavam, conforme solicitado pelo presidente da Copel, Paulo Pimentel.

Imediatamente após encaminhar o documento ao presidente do Conselho Deliberativo da instituição para as providências cabíveis, Pimentel se reuniu com os demais diretores da Companhia para avaliar nomes que pudessem ser indicados para a presidência da Fundação.

O nome a ser proposto é o do engenheiro eletricista Murilo Batista Júnior, 47 anos, na Copel desde 1979 e que desde janeiro vem gerenciando a Superintendência Regional de Distribuição Leste da empresa – a maior do Estado, tanto em número de ligações atendidas quanto no volume de eletricidade consumida.

A indicação feita pela diretoria da Copel será apreciada e votada na mesma reunião do Conselho Deliberativo da Fundação, que está sendo convocada para segunda-feira, dia 1.º de dezembro, para receber em caráter oficial a carta de renúncia dos três diretores. “Cumprimos exatamente o que nos foi determinado pelo governador Roberto Requião e, para nós, o assunto está encerrado”, declarou Paulo Pimentel.

Nota

Ontem à tarde, a Diretoria da Fundação Copel distribuiu nota dizendo que encaminhou o pedido de renúncia a Paulo Pimentel. Segundo Othon Mäder Ribas, presidente da Fundação Copel, essa decisão foi uma maneira de mostrar fidelidade à empresa e responsabilidade na condução administrativa. “Mesmo sabendo que tenho dirigido a Fundação com a seriedade e transparência necessárias, confio na decisão tomada por nós”, declarou.

Desde que a atual Diretoria assumiu, ele afirmou que o resultado financeiro dos investimentos apresentou números expressivos. Em outubro de 2003, a Fundação obteve o superávit atuarial histórico de R$ 168 milhões.

Esses resultados, segundo a Diretoria, são reflexo do profissionalismo e da seriedade com que a Fundação Copel tem sido administrada.