A montanha de processos em papel e barbantes que desafia o Tribunal de Justiça de São Paulo, maior Corte estadual do País, está com os dias contados – até dezembro de 2015, o Judiciário paulista concluirá a implantação do projeto 100% Digital. Em junho, pela primeira vez, a distribuição de novas ações via caminho eletrônico no TJ/SP bateu a dos processos físicos – das 368.416 ações distribuídas, 191.346 foram de forma eletrônica (51,94%) e 177.070 em papel (48,06%).

Desde que implantado o projeto 100% Digital a distribuição de processo nesse formato cresce gradativamente. Em junho, as ações em andamento registraram 87,47% em processo físico e 12,53% em digital – equação que, em breve, segundo a meta do presidente da Corte, desembargador José Renato Nalini, será modificada com a progressão contínua dos processos digitais.