Foto: Fábio Alexandre

Dobrandino da Silva: medida cautelar.

Os advogados do deputado Dobrandino da Silva (PMDB) ajuizaram ontem uma medida cautelar no Tribunal de Justiça pedindo a suspensão dos efeitos da sentença do juiz da 2.ª Vara Cível de Foz do Iguaçu, Gabriel Leonardo de Quadros, determinando a perda do mandato do peemedebista. Dobrandino foi condenado em ação movida pelo Ministério Público Estadual que o acusa de improbidade administrativa. Se o Tribunal de Justiça recusar o pedido, o deputado terá que se afastar da Assembléia Legislativa assim que for notificado.

Na denúncia, Dobrandino foi acusado de contratações irregulares de servidores públicos, na sua segunda gestão como prefeito de Foz do Iguaçu. O Ministério Público sustenta que, em 95, Dobrandino contratou funcionários sem concurso público, driblando a lei por meio de convênio com a Cooperativa Comunitária Mista do Porto Meira Ltda.

O deputado disse que acredita na concessão do efeito suspensivo e informou que, além do recurso no Tribunal de Justiça, seus advogados vão pedir também a transferência do julgamento da ação para o Superior Tribunal de Justiça.