Logo depois de retornar de viagem, no início da semana que vem, o prefeito de Curitiba, Luciano Ducci (PSB), pretende se reunir com o governador eleito do Paraná, Beto Richa (PSDB), para falar sobre possíveis desfalques que possam acontecer no secretariado da prefeitura, com os convites que possam surgir de Beto para algumas pessoas ocuparem cargos no governo estadual a partir de janeiro.

“Vou sentar com o Beto e detalhar as possíveis mudanças. Tem muitos nomes sendo cogitados. Creio que a partir do dia 10 de dezembro as coisas ficarão mais claras. O Beto ainda não conversou com os partidos políticos que compõem a sua base e deve fazer isso assim que voltar de viagem”, afirma Ducci.

O governador eleito está em férias, nos Estados Unidos, e deve voltar ao trabalho na próxima segunda-feira. “A equipe que temos na prefeitura é muito boa, espero que não mude muito. Mas as pessoas não podem recusar um convite do governador e o Estado vai ganhar muito com elas lá”, cogita.

Sem citar nomes, o prefeito já pensa em como reestruturar seu secretariado, caso alguns nomes migrem para o governo do Estado. “A prefeitura tem bons nomes em seu quadro técnico que poderão ser aproveitados”.

Mas Ducci não descarta nomeações que partam dos partidos que compõem a base de sustentação do seu governo. “Pode ser um perfil técnico e político combinados”, resume.

A frente da prefeitura desde que Beto saiu para a campanha ao governo, no fim de março, durante sua passagem ontem por Florença, Ducci comentou rapidamente a possibilidade de sair candidato a prefeito de Curitiba nas eleições de 2012.

“Primeiro tem que fazer um bom trabalho para começar a falar em 2012. Depois da saída do Beto, mantivemos o mesmo ritmo de obras e de gestão. E o caminho é esse, de dar continuidade. No final seremos cobrados por isso”, acredita.

Ducci citou como exemplo a construção ou implantação de 38 creches que estão sendo previstas para o ano que vem. “Serão abertas 5 mil vagas na educação infantil, algo que poucas outras cidades brasileiras estão fazendo”, diz.

Mas ele já faz planos: “Se chegar em 2012 e a gestão estiver boa, independente das pesquisas podemos disputar a eleição”, afirma. O ex-procurador-geral do município, Ivan Bonilha, e o ex-chefe de gabinete da prefeitura, Deonilson Roldo, que já deixaram seus cargos na prefeitura, são dados como certos na equipe de Beto.

Os secretários municipais Carlos Homero Giacomini (Planejamento), Luiz Eduardo Sebastiani (Finanças) e Norberto Ortigara (Abastecimento), que integram a equipe de transição de Beto no governo, podem seguir o mesmo caminho.

(A repórter viajou a Florença a convite da instituição italiana The European House Ambrosetti).