Cumprindo um script traçado pela campanha de Hélio Costa (PMDB), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu ênfase à disputa pelo governo de Minas durante comício realizado hoje em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte. Tratando a presidenciável petista Dilma Rousseff como virtual eleita, Lula atacou a gestão tucana no Estado e defendeu uma administração estadual alinhada com o governo federal.

“Vamos para a rua fazer o enfrentamento. Vamos ganhar essas eleições, porque Minas Gerais é um estado muito importante para o Brasil e pode fazer muito mais se trabalhar junto com o governo federal”, conclamou Lula para um público estimado em cinco mil pessoas.

Na reta final, confiantes na vitória de Dilma, a campanha de Costa procura “nacionalizar” a disputa estadual. A coligação liderada por PT e PMDB recorreu ao presidente como forma de confrontar a popularidade de Aécio no Estado. A tática de federalizar a eleição em Minas tem também como objetivo combater em Minas o chamado “Dilmasia” – o apoio simultâneo à presidenciável do PT, Dilma Rousseff, e a Anastasia.

Após o início do horário eleitoral no rádio e na TV, vinculado à imagem de Aécio, o governador tucano e candidato à reeleição assumiu rapidamente uma curva ascendente e conseguiu reverter uma desvantagem de mais de 20 pontos porcentuais nas intenções de voto, chegando ao empate técnico com Costa, segundo a última pesquisa Ibope.

Lula evitou ataques a Aécio e Anastasia, mas acusou o Estado de não investir o porcentual mínimo exigido na saúde conforme a Emenda 29.