Para renovar a frota pública, o governo está negociando com as montadoras que obtiveram incentivos fiscais para se instalar no Estado e realizando outras ações como parte da política do governador Roberto Requião para reduzir custos de modernização e gestão dos veículos oficiais. O Estado herdou uma frota com idade média de 15,8 anos, porque o governo anterior priorizou a locação de veículos. Hoje, o Estado tem 17,3 mil veículos, dos quais 1,3 mil são locados.

As montadoras só começariam a recolher a maior parte do ICMS devido ao Estado a partir de 2.016. A Audi/Volkswagen está recolhendo 25% do imposto, o que projeta créditos de R$ 380 milhões para o Estado negociar a aquisição de veículos dessa marca para a frota. Já a Renault, que está pagando ao governo apenas 1% do ICMS sobre o que fatura, tem um saldo de R$ 460 milhões para negociar em veículos para a frota oficial.

Por meio das negociações, a intenção do governo é receber veículos novos, a título de antecipação do ICMS que as montadoras instaladas no Estado só têm obrigação contratual de recolher daqui há mais de uma década. As negociações com a Volkswagen estão em andamento e os contatos com a Renault ainda estão em fase inicial.