O estrategista responsável pela campanha online de Barack Obama, presidente dos Estados Unidos, Ben Self, desconversou hoje sobre uma eventual participação na candidatura da chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, à Presidência do Brasil em 2010. “Não falamos sobre com quem temos contrato, sobre os clientes existentes ou possíveis. Respeitamos a privacidade deles. Vocês devem perguntar a eles”, limitou-se a responder Self, após palestrar no seminário O Efeito Obama, em São Paulo. Segundo a revista “IstoÉ”, Self teria fechado contrato em setembro para assessorar Dilma.

Indagado se gostaria de trabalhar na eleição brasileira de 2010, o estrategista disse: “O Brasil está numa situação política muito interessante e é também um mercado interessante. Vamos ter tempo de avaliar essa possibilidade.” Self se esquivou de informar até mesmo se conhece pessoalmente Dilma ou o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), potenciais candidatos à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Durante a palestra, ele chegou a brincar ao citar o nome dos dois. “Não sei bem quem são.” Self apresentou à plateia um gráfico que mostra a frequência com que são buscados no Google os nomes de Dilma e de Serra. O nome do tucano era pesquisado com muito mais frequência do que o da petista. No entanto, o estrategista evitou analisar as estatísticas. “Os números não significam nada, é apenas interessante ver a diferença, mostrar as tendências locais.”