A Comissão de Ética do PMDB do Paraná decidiu, na manhã desta sexta-feira (02), expulsar o ex-governador Orlando Pessuti da legenda. Para o comando peemedebista, ele desobedeceu à resolução sobre fidelidade partidária, que proíbe os filiados com cargo ou função de direção no partido de participar da administração direta ou indireta no governo Beto Richa (PSDB).

Atualmente, Pessuti é diretor administrativo do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), por indicação do tucano. No PMDB, o ex-governador era membro do diretório estadual e delegado na Convenção Nacional do partido.

Dois seis membros da Comissão de Ética presentes na reunião desta sexta, cinco votaram pela expulsão. “A conduta correta e ética é uma cobrança da sociedade, que exige respeito às instituições. Não podemos agir de outra forma e isso justifica nossa decisão”, afirmou Nizan Pereira.

Futuro

Expulso do PMDB, Pessuti pretende procurar outro partido pelo qual possa disputar a prefeitura de Curitiba no ano que vem. Uma das possibilidades seria o próprio PSDB, com o aval de Richa.

Além disso, mesmo fora do PMDB, ele deve mobilizar os aliados que seguem na legenda para derrotar o senador Roberto Requião na disputa pelo comando do partido no estado, marcada para o dia 31 deste mês. Ao colunista Celso Nascimento, antes de ser expulso, Pessuti disse que iria se “dedicar a construir a derrota do Requião”.

Os dois viraram inimigos declarados logo após Requião renunciar ao governo do estado para disputar o Senado, em abril de 2010, e Pessuti assumir o posto na função de vice-governador.

Paraná Online no Facebook