O ex-tesoureiro do PTB, Emerson Eloy Palmieri, um dos 40 réus do processo do mensalão, depôs nesta sexta-feira (25) em audiência com duração de duas horas realizada na 3ª Vara Federal Criminal de Curitiba. Palmieri responde pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro por causa de seu suposto envolvimento em irregularidades financeiras no processo de doações do PT ao PTB nas eleições de 2004. O ex-dirigente não quis fazer comentários, mas seu advogado, Irapuã Messias, afirmou que o depoimento transcorreu normalmente e pôde esclarecer alguns detalhes. "Mostramos que ele (Palmieri) não teve responsabilidades sobre o que é acusado e que é inocente neste processo", disse.

Segundo Messias, o PT havia prometido R$ 20 milhões ao PTB para a campanha eleitoral, mas os R$ 4 milhões que chegaram não estavam de acordo com a lei. "Isso foi questionado pela contabilidade do PTB, que não aceitou o dinheiro e a questão foi resolvida pelo então presidente do partido Roberto Jefferson e o presidente do PT, José Genoino", disse. Também participaram da audiência os representantes de alguns envolvidos no caso, que também não quiseram comentar o depoimento de Palmieri.