O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no STF, afirmou que sua família está recebendo ameaças e que já pediu providências à presidente do STF, Cármen Lúcia. “Uma das preocupações que eu tenho não é só com o julgamento, mas também com a segurança de membros de minha família. Tenho tratado desse tema e de ameaças que têm sido dirigidas a membros da minha família”, afirmou, em entrevista ao jornalista Roberto D’Avila que será exibida às 21h30 desta terça-feira (27), pela Globonews.

“Algumas providências que solicitei à presidente e à Polícia Federal por intermédio da delegada que trabalha aqui no tribunal já estão sendo adotadas”, afirmou Fachin. “Nem todos os instrumentos foram agilizados, mas eu efetivamente ando preocupado com isso, e esperando que não troquemos a fechadura de uma porta já arrombada também nesse tema”, completou, demonstrando bastante preocupação.

Fachin, que tem 60 anos e foi indicado para o STF em junho de 2015 pela então presidente Dilma Rousseff (PT), não relacionou as ameaças a nenhum caso específico em que esteja atuando ou que tenha julgado.

Na TV, Sérgio Moro fala sobre prisão em 2ª instância e desvia de perguntas sobre habeas corpus de Lula