Freud Godoy, ex-segurança e ex-assessor pessoal do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, depõe na Polícia Federal em São Paulo desde as 14h desta quarta-feira. Godoy foi intimado para falar sobre as denúncias do empresário Marcos Valério, operador do mensalão, que declarou à Procuradoria-Geral da República, em setembro de 2012, que o esquema de compra de votos no Congresso pagou despesas pessoais de Lula.

Em abril, a PF pediu quebra do sigilo bancário de Godoy, como parte da investigação para desvendar o caminho percorrido pelos recursos distribuídos no esquema. Em seu depoimento, Valério disse aos procuradores ter passado dinheiro para Lula arcar com “gastos pessoais” no início de 2003, quando o petista já havia assumido o Planalto. Os recursos foram depositados, segundo Valério, na conta da empresa de segurança Caso, de propriedade de Godoy, ex-assessor da Presidência e uma espécie de “faz-tudo” de Lula. O ex-presidente nega a acusação.

Também em abril, Valério prestou novo depoimento à PF em Brasília. O inquérito aberto vai rastrear supostos repasses do mensalão para o ex-presidente.