O Tribunal Eleitoral do Paraná (TRE-PR) barrou mais um candidato como base a lei Ficha Limpa. Na sessão de ontem, foi a vez do candidato a deputado federal Nilton Servo (PRB), que já respondeu a acusações sobre contrabando de cigarro; foi detido depois de atirar em um policial militar em Ponta Grossa e acusado de ser um dos chefes da máfia dos caça-níqueis, em 2007, numa rede que se estendia do Paraná ao Mato Grosso.

É o sétimo caso de aplicação da Ficha Limpa no Paraná nos julgamentos de registro de candidatura até o momento. O julgamento do candidato a deputado estadual Geraldo Cartário Ribeiro (PDT), que teve seu mandato atual de deputado estadual cassado por abuso de poder econômico, deve voltar hoje à pauta, após pedidos de vista do juiz Luiz Fernando Tomasi Keppen.

Os candidatos a deputado estadual Mário Vilas Boas Pescador (PT) e Antonio Wandscheer (PT), conhecido como Toninho da Fazenda Rio Grande, para os quais havia um pedido de impugnação, foram liberados pelo TRE-PR.

O ex-secretário estadual da Saúde, Gilberto Martin (PMDB), candidato a deputado estadual, também foi liberado. Havia uma notícia de inelegibilidade contra ele. O TRE-PR está na fase final de julgamentos dos pedidos de candidatura.