O criminalista Sérgio Rosenthal, que representa Verônica Serra e Alexandre Bourgeois, filha e genro do presidenciável do PSDB, José Serra, pediu ontem à Polícia Federal (PF) ampla investigação sobre o uso político das informações obtidas pelo jornalista Amaury Ribeiro Jr. O advogado verificou que blogs “diretamente ligados à campanha de Dilma Rousseff” utilizaram dados fiscais sigilosos de seus clientes.

“Quero saber se foi o Rui Falcão quem roubou o dossiê ou se foi o jornalista quem vendeu para o PT”, declarou Rosenthal. Deputado estadual, Falcão é um dos coordenadores de comunicação da campanha da petista Dilma à Presidência.

O advogado do casal está convencido de que é “uma balela” a versão da cúpula da campanha petista que atribui a montagem do dossiê a um suposto “fogo amigo” dentro do PSDB. “Não tem nada a ver”, afirma. Rosenthal destaca que, em seu relato à PF, Amaury informou ter tomado ciência, em dezembro de 2007, de que um “grupo clandestino de inteligência” espionava o então governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB).

Na ocasião, Amaury trabalhava no jornal Estado de Minas. “É intrigante que só dois anos depois o jornalista encomendou as declarações de renda de Verônica e Alexandre”, observou o advogado – o acesso imotivado ao sigilo fiscal da filha e do genro de Serra ocorreu em entre 30 de setembro e 8 de outubro de 2009.