Por orientação da defesa, os dois filhos da ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra permaneceram calados na Superintendência da Polícia Federal (PF) em Brasília. Israel e Saulo Guerra foram intimados a depor hoje na condição de investigados em suposto esquema de intermediação de negócios de empresas privadas com o governo federal, por meio de uma empresa de consultoria. A PF ainda não informou quando será o depoimento de Erenice Guerra.

O advogado deles, Marcelo Leal, disse que os fatos não estão ainda delineados. “Entendemos que existe um forte componente político nisso tudo”, alegou. “Meus clientes são absolutamente inocentes e tenho certeza que isso será provado no final do processo. Estamos confiantes e acreditando que tudo será apurado. Eles esperam que seja apurado da melhor forma possível para que seja provada a inocência deles”.