O presidente do Fórum Popular Contra a Venda da Copel, Nelton Friedrich, afirmou ontem que uma nova votação do projeto de iniciativa popular contra a privatização da Copel – deferida na última sexta-feira pelo Tribunal de Justiça do Paraná, acatando mandato de segurança protocolado pelo deputado estadual Caíto Quintana (PMDB) – seria a oportunidade dos deputados que votaram contra a vontade do povo do Paraná se redimirem. Para ser colocada em votação a ação popular contou com 138 mil assinaturas, muito mais do que as 61 mil necessárias. “Tudo foi conseguido em menos de quarenta dias.

Essa decisão do TJ foi a prova de que o fórum e a população do Paraná estavam certos na época, quando apontaram vários problemas no processo de condução da votação. O regimento interno da Assembléia Legislativa foi atropelado”, criticou Friedrich, destacando que o ideal seria que a nova votação acontecesse ainda esse ano, pois a AL contaria com os mesmos deputados que votaram no ano passado.