O ministro da Secretaria de Comunicação Social, Franklin Martins, rebateu o candidato tucano à Presidência da República, José Serra, sobre a acusação que fez ao governo federal de cercear, constranger e censurar a imprensa. Em nota divulgada hoje, o ministro disse que a acusação é grave e descabida, sem qualquer apoio nos fatos.

“Ao dizer que o governo censura e persegue a imprensa, Serra não só falta com a verdade como contribui também para arranhar a imagem internacional do Brasil, dando a entender que nossas instituições são frágeis e os valores democráticos pouco consolidados”, afirmou. “Para nós, a liberdade de imprensa é sagrada. O Estado democrático só existe, consolida-se e se fortalece com uma imprensa livre.”

No comunicado, Franklin disse que Serra foi tomado pela paixão da campanha eleitoral. “Compreendemos que as paixões da campanha eleitoral podem, em determinadas circunstâncias, toldar julgamentos serenos, mesmo naqueles que dizem ter nervos de aço”, escreveu. “Mas seria prudente que certos excessos fossem evitados.”

Franklin afirmou na nota que jornalistas e veículos de imprensa jamais foram incomodados por qualquer tipo de repressão ou represália. “A imprensa no Brasil é livre. Ela apura – e deixa de apurar – o quer. Publica – e deixa de publicar – o que deseja. Opina – e deixa de opinar – sobre o que bem entende. Todos os brasileiros sabem disso. Diariamente leem jornal, ouvem rádio e assistem a telejornais que divulgam críticas procedentes ou não ao governo.”