Em convenção realizada na noite desta quinta-feira (4), o PDT oficializou a candidatura de Gustavo Fruet para a reeleição na disputa pela prefeitura de Curitiba. No entanto, o nome de seu vice na chapa do atual prefeito não foi divulgado. Segundo o próprio Fruet, o anúncio oficial será feito na sexta-feira (5), em respeito a convenção de seu mais novo aliado, o PPS.

“(O vice) está praticamente definido, mas em respeito a convenção do PPS e o dialogo dos partidos a gente está respeitando esta liturgia”, afirmou o prefeito.

Com a adesão de última hora, a chapa de Fruet na disputa pela reeleição terá apoio de PV, PTB, PRB e PPS.

Durante entrevista coletiva, Fruet foi incisivo ao criticar seus adversários. Sem citar nomes, afirmou que destacar as contradições dos outros candidatos será parte de um debate necessário.

Recentemente, o candidato Rafael Greca (PMN) recebeu o apoio do PSDB, do governador Beto Richa, seu alvo em vários momentos nos últimos anos. “Isso vai ser considerado. Ao longo da vida a gente vai construindo identidade positiva ou negativa. Credibilidade se constrói com tempo, mas não se constrói com mudanças tão radicais, tão expressivas de opinião. Ninguém deve ser congelado, mas essas contradições são publicas e devem ser cobradas também”, disse.

Indignação popular

Para Fruet, a atual indignação da população com a “agenda negativa” da política brasileira será um dos obstáculos na campanha. De acordo com ele, no entanto, ninguém no país ainda conseguiu apontar qual o caminho para reconquistar a esperança dos brasileiros nos políticos.

“Mas nós não precisamos entrar na campanha, ao contrário de muitos candidatos, justificando. Equívocos, erros, declarações e mudanças de opiniões, investigações, felizmente não há nenhuma estrutura ou pessoa que tenha contaminado a prefeitura”, defendeu-se.

Outra estratégia, de acordo com o prefeito, é apontar tudo que foi feito na cidade em um cenário econômico desfavorável. De acordo com ele, Curitiba apontou caminhos e soluções, avançando sem apoio.

O prefeito afirmou que pretende chegar ao final do ano com 90% das promessas da primeira campanha cumpridas. Apesar disso, teve que responder sobre os grandes temas da capital, como a questão do lixo e o transporte público, com os aumentos da tarifa de ônibus e o metrô. Fruet falou que deixou estes projetos encaminhados para a próxima gestão.

No caso do metrô, lembrou que dependerá do apoio do governo federal. Sobre o lixo, ressaltou que o processo de licitação foi aberto e se comprometeu em deixar adiantado o procedimento para tratamento dos resíduos na capital.

Saída do PT não preocupa

A saída do PT, parceiro de 2012 e que indicou sua atual vice, da chapa na atual corrida eleitoral, não preocupa o prefeito. Segundo ele, a intenção é focar o debate eleitoral na agenda local, mesmo diante de grandes temas nacionais, que envolvem o partido de Mirian Gonçalves, a atual vice do pedetista.

Osmar Dias desconversa

“Não vamos discutir 2018. Não dá para chegar lá sem um bom desempenho em 2016”, disse Osmar. Foto: Hugo Harada
“Não vamos discutir 2018. Não dá para chegar lá sem um bom desempenho em 2016”, disse Osmar. Foto: Hugo Harada

Osmar Dias, presidente estadual do PDT, esteve presente na convenção e não quis falar sobre 2018 e a possibilidade de se candidatar ao cargo de governador do Paraná. “Não vamos discutir 2018. Porque não dá para chegar lá sem um bom desempenho politico em 2016”, afirmou.