Depois do “G8 do PMDB” do Senado – grupo de senadores independentes que contestou a liderança de Renan Calheiros (AL) e a relação com o governo – surge agora o G8 da Câmara, pregando que o partido devolva todos os cargos que ocupa à presidente Dilma Rousseff. Liderados pelo deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), sete deputados do PMDB do Rio assinaram hoje um manifesto em que reafirmam o apoio ao líder da bancada, Henrique Eduardo Alves (RN) e à presidente Dilma, mas “expressam o seu descontentamento com a participação do partido no governo”.

“Não estamos brigando com ninguém nem pedindo nada. Ao contrário, a tese é a de entregar tudo. Se é para o PMDB ficar com a gorjeta, é melhor deixá-la para o garçom”, disse Cunha, ao destacar que o movimento é político. Segundo ele, o manifesto reúne apenas a bancada fluminense do partido, mas poderia ser maior porque o descontentamento com a participação do partido no governo é mais amplo.

O primeiro dos seis itens do manifesto do grupo é precisamente o que apoia Alves e reafirma o “engajamento” na candidatura dele à presidência da Câmara em 2013, dentro do acordo de revezamento no posto com o PT do atual presidente Marco Maia (RS). Em seguida, vem o apoio ao governo da presidente Dilma e a observação de que “o melhor seria estarmos fora da ocupação de cargos públicos, já que o tamanho do partido não está representado adequadamente”.

No quarto ponto, o grupo manifesta o “desconforto com as denúncias envolvendo quadros do partido, em situações onde os fatos denunciados são anteriores à gestão comandada pelo PMDB, mas vêm provocando desgaste em todos nós”. O texto também destaca que “o apoio ao governo não significa deixar de apurar e investigar qualquer denúncia existente, seja por instrumento tradicional ou por CPI, se for do entendimento de cada parlamentar”

Os deputados do PMDB do Rio também dizem que gostariam de discutir “temas relevantes para a sociedade, tais como a prorrogação da Desvinculação das Receitas da União (DRU), que implicará a perda da possibilidade de aumento dos gastos com saúde e educação que deveriam, na nossa ótica, ser prioridade em nosso partido”.

Além de Cunha, integram a lista de signatários do manifesto os deputados Adrian Musse, Alexandre Santos, Edson Ezequiel, Fernando Jordão, Nelson Bornier, Solange Almeida e Washington Reis.