O presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), disse que vai colocar em votação “o mais rápido possível” a proposta de emenda constitucional (PEC) que regulamenta a edição de medidas provisórias (MPs). A proposta foi aprovada nesta terça-feira (25) pela Câmara, que deve votar ainda nesta quarta (26) os destaques. A PEC terá que passar ainda por uma segunda votação, na Câmara, para depois ser encaminhada ao Senado.

O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), ao comentar a votação da PEC, disse que a tramitação de MPs pode atrapalhar até os planos do governo para a reforma tributária. “O governo, se queria votar a reforma tributária, pode estar sendo vítima do não-planejamento de medidas provisórias”, disse Chinaglia.