Em Foz do Iguaçu, ontem, o governador Roberto Requião (PMDB) já disse que não acredita em ajuda do governo federal para completar os recursos necessários ao pagamento do piso nacional dos professores.

“Isto é o samba do crioulo doido, porque em cada estado e município existe um plano de cargos e salários diferenciado. Assim, num município que nunca deu bola para a educação o salário pode ser os R$ 950. Mas, num outro, que sempre se preocupou com a educação, o salário dos professores pode ir a 2, 3 ou até 4 mil reais. Não será pago e muito menos o governo federal vai suplementar. Não suplementa nem a Lei Kandir. Teremos então uma guerra entre sindicatos, estados e municípios, que vai desaguar em precatórios”, atacou.