O governador Roberto Requião (PMDB) reafirmou ontem suas críticas às empresas terceirizadas contratadas pelo poder público que pagam baixos salários aos seus trabalhadores para conseguir redução de custos. “Esta situação é inaceitável”, disse o governador, que pretende criar mecanismos destinados a evitar que o problema se repita.

“As empresas vencedoras devem ser aquelas que ofereçam a melhor taxa de administração e não as que reduzem os salários dos trabalhadores, gerando exploração da mão-de-obra”, afirmou. Requião quer, entre outras medidas, estabelecer, já no edital de licitação, um valor mínimo para o salário de cada função desempenhada.

Anteontem, o governador determinou rigor e rapidez no levantamento da situação dos contratos de terceirização de serviços no Paraná. Requião pediu que os secretários verifiquem pessoalmente cada contrato a fim de levantar quais podem ser lesivos ao estado. Ele orientou cada secretário a fazer o levantamento de todos os contratos de convênios e protocolos já firmados, estudando cuidadosamente cada situação.

Na reunião com os secretários, que também apresentaram um balanço das suas atividades, ficou estabelecida a realização de um seminário, nos dias 21 e 22, no Canal da Música, com a participação de todos os secretários, além de integrantes do segundo escalão, para discutir uma padronização das informações relativas ao Estado.