Adauto: policiais civis atenderão mais o interior.

O governador Roberto Requião (PMDB) autorizou a contratação de 800 policiais militares e 124 policiais civis, aprovados em concurso público e que ainda não tinham sido chamados para integrar o quadro.

A decisão de Requião foi anunciada em reunião ontem com o delegado-geral da Polícia Civil, Adauto Abreu de Oliveira, e o comandante-geral da PM, coronel David Antônio Pancotti. Com as novas nomeações, o governo espera substituir os policiais que se aposentaram ou foram exonerados. O concurso da Polícia Militar foi realizado no ano passado, com a aprovação de 1.600 candidatos.

Requião vai contratar primeiro os policiais civis. Durante a semana, o governador assina as nomeações. Os policiais serão chamados e passarão por um curso preparatório na escola superior da instituição. Dos 124 concursados, 22 são delegados e os demais são investigadores e escrivães.

“Trabalhamos com metade dos profissionais previstos em 1978. Apesar de esta contratação não suprir totalmente as necessidades atuais, melhorará bastante a situação”, comentou o delegado-geral. O efetivo da polícia é atualmente de 3.645 policiais. O concurso foi realizado em 2001 e prorrogado até agosto de 2004. Segundo o delegado-geral, existem 2.432 vagas para investigadores e 155 para escrivães. Os novos policiais civis deverão suprir, principalmente, as vagas nas delegacias do interior do Estado.

Polícia Militar

Para que os novos 800 policiais militares possam ser convocados, o ParanáPrevidência terá que liberar os pedidos de reserva ou reforma. “Mas, assim que os processos sejam concluídos, os concursados serão chamados”, disse o coronel Pancotti, acrescentando que o governador garantiu agilidade na liberação das vagas.

Segundo Pancotti, está sendo feito um estudo para distribuir o novo efetivo. “Cada região ou cidade tem características e necessidades próprias que devem ser levadas em conta”, registrou o comandante-geral. O estudo deve estar pronto até o fim do mês e os novos PMs serão direcionados para os locais com maior carência policial. Antes eles passarão por seis meses de curso na Academia Policial Militar do Guatupê.

Requião faz diagnóstico

O governador Roberto Requião (PMDB) recebe amanhã, no Canal da Música, em Curitiba, proprietários de jornais, rádios e TVs e seus editores-chefes. Requião vai apresentar um diagnóstico do Estado e discutir propostas para a solução dos problemas encontrados no governo. Ontem, o governador se reuniu com o presidente da Sanepar, Caio Brandão, e discutiu diretrizes para a empresa. Ele pediu a revisão das terceirizações, o reexame dos contratos e licitações de obras e, ainda, por meio de leasing, pretende renovar a frota de veículos da Sanepar.

Estado investe R$ 10 mi em obras

Atendendo pedido feito pelo secretário estadual do Trabalho, Emprego e Promoção Social, padre Roque Zimmermann, o governador Roberto Requião anunciou ontem investimentos de R$ 10 milhões ainda neste ano para a conclusão de mais de quatrocentas obras inacabadas no Estado. Os recursos serão aplicados em creches e instituições de atendimento à criança que tiveram suas construções ou reformas aprovadas no governo passado pela extinta Secretaria de Estado da Criança e Assuntos da Família.

Paralisadas por falta de recursos, as obras serão retomadas mediante um rigoroso controle na liberação de verbas. Padre Roque determinou que haja uma criteriosa auditoria na liberação do dinheiro. A liberação de recursos para a conclusão dessas obras seguirá três etapas. Primeiramente serão finalizadas aquelas que necessitem apenas de mobiliário e acabamento. Em seguida, construções e reformas que estejam com mais de 80% do total da obra concluídos. E por fim, receberão recursos aquelas obras que estão ainda incompletas ou em início.