O governo do Paraná se comprometeu a pagar integralmente, numa única parcela, o terço de férias dos professores da educação básica e das instituições de ensino superior do Estado até 31 de março. O impacto financeiro previsto é de R$ 116 milhões. O acordo foi definido durante a terceira reunião entre representantes do governo estadual e da APP-Sindicato, realizada ontem, no Palácio Iguaçu.

Para o presidente da APP, Hermes Leão, a proposta representou um avanço. “Não é o que esperávamos. Mas reconhecemos que houve esforço para avançar na pauta”, afirma. O valor que o Estado deve aos professores do ensino básico é de R$ 96 milhões e para os docentes universitários é de R$ 20 milhões.

Durante o encontro, que durou aproximadamente três horas, o secretário da Casa Civil, Eduardo Sciarra prometeu que, até o fim de fevereiro, o governo vai pagar R$ 12 milhões aos servidores públicos que tiraram férias nos meses de novembro e dezembro do ano passado.

O governo de Beto Richa ainda terá de saldar R$ 40 milhões em férias atrasados de outros servidores estaduais. O pagamento está previsto para abril.

Outros avanços

O “pacotaço”, que propunha suspender por tempo indefinido as licenças especiais, agora têm prazo certo para voltarem a ser solicitadas: agosto de 2015. Também a partir do segundo semestre, Romanelli prometeu a retomada do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), de formação e progressão de carreira dos profissionais da rede estadual.