O governo federal publicou nesta segunda-feira, 27, no Diário Oficial da União (DOU) a exoneração de Jaime César de Moura Oliveira do cargo de diretor da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O decreto, assinado pela presidente Dilma Rousseff e o ministro da Saúde, Arthur Chioro, formaliza a saída de Oliveira um mês depois de sua renúncia ao cargo.

Jaime Olivera estava interino na presidência da agência reguladora desde outubro do ano passado e anunciou a renúncia a integrantes de sua equipe no dia 24 de março em uma mensagem eletrônica. Ele saiu efetivamente do cargo no dia 27 do mês passado, dois anos antes da conclusão do mandato.

Oficialmente, a decisão de Oliveira foi tomada por questões pessoais. O jornal O Estado de S. Paulo apurou, no entanto, que o afastamento foi provocado diante da insatisfação de Oliveira com o fato de que ele não seria confirmado como diretor presidente da agência.

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), reivindica a indicação de um nome para uma vaga na diretoria da agência. Mas quer que seu indicado seja alçado à presidência do órgão. O ministro Arthur Chioro tenta emplacar na Anvisa Jarbas Barbosa, secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério. Mas Renan quer indicar ao posto Fernando Mendes, atual diretor adjunto de Coordenação e Articulação do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária. Apesar das movimentações do peemedebista, Barbosa é considerado o favorito para assumir o cargo – seu nome, contudo, precisa ser sabatinado pela Comissão de Assuntos Sociais do Senado (CAS).