O prefeito Rafael Greca saiu em defesa da Guarda Municipal (GM) no caso que acabou com o candidato a deputado estadual Renato Freitas (PT) ferido com uma bala de borracha, na noite deste domingo (9).

O ataque, segundo o próprio candidato, foi feito pela Guarda, e Freitas acabou detido. Greca rebateu, afirmando que o detido é reincidente em problemas dessa natureza. “Almeida é reincidente em atos de desacato e de perturbação do sossego. Além de envolvimento anterior num caso com a Polícia Militar, Almeida Freitas já havia sido detido pela Guarda Municipal em agosto de 2016, quando candidato a vereador, por desacato e perturbação de sossego”, escreveu o prefeito.

Segundo Greca, a Guarda foi acionada por moradores do entorno da Praça do Gaúcho, por volta das 19h, com queixas de que havia pessoas fazendo racha de veículos, usando drogas e causando perturbação do sossego. A GM foi ao local e, segundo o prefeito, “precisou usar arma não letal (com bala de borracha) para conter o grupo e restabelecer a ordem”. De acordo com o prefeito, Freitas estava em um grupo que atacou os guardas municipais.

Nesta segunda-feira (10), Renato Freitas afirmou que o ato foi uma represália a denúncias que ele tem feito da ação da Guarda Municipal. Freitas relatou ter prestado depoimento na última quinta-feira (6), na condição de vítima, em uma sindicância que apura uma abordagem realizada contra ele pela própria GM em 2016. Ele denunciou ter apanhado e ter sofrido humilhações, por isso fez a denúncia que gerou um processo administrativo para apurar eventuais abusos.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Menina está desaparecida desde sábado e família pede ajuda