O deputado federal Gustavo Fruet (sem partido), que ontem almoçou com o prefeito Beto Richa (PSDB), anuncia hoje sua nova filiação partidária. Antes disso ele consultou prefeitos, vereadores e outros aliados. As apostas vão todas para o PSDB, uma vez que apoiou Richa desde o primeiro turno e que seu pai, o ex-prefeito Maurício Fruet, chegou a disputar uma vaga ao Senado pela legenda, em dobradinha com o ex-governador José Richa.

O vereador de Curitiba, Celso Torquato também formalizou ontem seu desligamento do PMDB. Ele entregou o ofício com o pedido de desfiliação ao presidente do diretório municipal, Doático Santos pela manhã. A saída do vereador, ligado a Fruet, já era esperada desde o ano passado, conforme admitiu o próprio dirigente partidário, que recebeu com naturalidade o pedido.

Com esse desfalque, a bancada do PMDB na Câmara Municipal de Curitiba fica reduzida a três representantes, sendo que, contra um deles, Paulo Salamuni, corre procedimento na Comissão de Ética, encaminhado pelo próprio Doático. O presidente do PMDB questiona o correligionário pelas freqüentes críticas feitas a ele, ao diretório e até mesmo ao governador Roberto Requião. Também condena discurso feito por Salamuni na cerimônia de posse dos vereadores, em janeiro deste ano, com elogios às famílias Richa e Fruet e seu estilo de fazer política.

O processo não progrediu até agora, e boa parte dos peemedebistas acredita que vai morrer na casca. O incidente, argumentam, retrata muito mais divergências pessoais do que partidárias.

Peemedebistas recentes, Reinhold Stephanes Júnior e Luiz Felipe Braga Côrtes dificilmente se colocarão como oposição ao prefeito Beto Richa. Stephanes Júnior apoiou abertamente a campanha do tucano no segundo turno das eleições. Diante dessa situação, até o gabinete paralelo proposto por Santos para fiscalizar a atual administração fica esvaziado.

Torquato explicou que só não deixou a legenda junto com Fruet porque se o fizésse não poderia disputar a reeleição: "Há longa data venho fazendo política ao lado dos Fruet, e pretendo levar avante esse trabalho. Nada tenho contra o PMDB, que me deu grandes oportunidades na carreira. Mas agora é hora de seguir um novo rumo."