Antonio Cruz/ABr
Condenados do mensalão tiveram dados expostos na internet

Dados pessoais de três condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no processo do mensalão foram publicados nesta terça-feira (8) na internet por hackers.

Endereços, números de telefone, de CPF e outras informações do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, do ex-presidente do PT José Genoino e do ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares. Informações do bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, também caíram na rede.

As informações dos três petistas foram colocadas na rede por um usuário cujo nome no Twitter é @nbdu1nder. No seu perfil, ele se classifica como um “grey hat”.

No jargão, isso significa que ele é um hacker intermediário, que evita publicar informações que possam prejudicar seus alvos. Invadir sistemas de computação é uma forma de diversão para o usuário.

“O Brasil viveu um dos momentos mais constrangedores de sua história, não apenas por assistir a posse na Câmara dos Deputados de um corrupto e quadrilheiro condenado a seis anos e onze meses de prisão, mas pelo fato dele ter sido aplaudido por boa parte dos parlamentares, entre eles todos os petistas, como se fosse um herói nacional. Genoino participou de um esquema de compra de votos, o Mensalão, que abastecia o caixa do PT com dinheiro sem origem e o repassava a deputados da mesma estirpe moral”, disse o hacker no texto publicado.

Genoino, condenado a seis anos e 11 meses de prisão por corrupção ativa e formação de quadrilha pelo STF, tomou posse na semana passada como deputado suplente na vaga deixada por Aldo Rebelo (PCdoB-SP).

Com a renúncia de Carlinhos Almeida (PT-SP), eleito prefeito de São José dos Campos, houve uma dança de cadeiras na Câmara. Vanderlei Siraque (PT-SP), antes na vaga de Rebelo, assumiu como titular. E Genoino foi alçado como suplente.

José Dirceu foi condenado a dez anos e dez meses de prisão por corrupção ativa e formação de quadrilha, enquanto Delúbio Soares recebeu oito anos e 11 meses pelos mesmos crimes. Os ministros do STF consideraram Dirceu o chefe do núcleo político do mensalão. Já o ex-tesoureiro do PT era o principal operador do grupo.

Hoje também foram divulgados dados pessoais do bicheiro Carlinhos Cachoeira como nomes dos pais, data de nascimento, número do CPF e do registro de identidade e o endereço de sua casa em Anápolis.

Réu na Operação Monte Carlo, ele foi condenado a 39 anos de cadeia e multa de R$ 3,8 milhões por seis crimes. Em 11 de dezembro, conseguiu habeas corpus e foi solto da cadeia.