O candidato do PMDB ao governo de Minas Gerais, Hélio Costa, rebateu hoje o governador Antonio Anastasia (PSDB), candidato a reeleição, que atribuiu à administração do ex-ministro das Comunicações a responsabilidade pela “grave crise de gestão” e “outros problemas” nos Correios. Costa acusou os tucanos mineiros de tentarem “colar” nele “supostas denuncias” contra a presidenciável petista Dilma Rousseff. Apontou ainda “desespero” dos adversários na reta final da campanha.

“Agora tentam, sem sucesso, trazer esse método condenável de campanha para Minas. O eleitor, contudo, estava vacinado contra falsas denuncias que aparecem as vésperas do pleito”, disse o peemedebista, em nota distribuída pela sua assessoria de imprensa. “Essa onda de ataques é apenas uma cortina de fumaça que tenta esconder a verdade: no Brasil e em Minas, a vitória dos aliados do presidente Lula será completa.”

Já a coligação em torno de Anastasia divulgou comunicado respondendo às críticas ao chamado choque de gestão do governo tucano feitas por Patrus Ananias (PT), candidato a vice de Costa. Na nota, a campanha do PSDB diz que foi por meio das medidas administrativas que o governo equilibrou as contas do Estado e pode retomar a capacidade de investimento, com recursos próprios e por meio de financiamentos externos. Citou um montante de mais de R$ 10 bilhões.

“Ao contrário do que afirma o candidato, esses investimentos trouxeram benefícios concretos para os mineiros” afirma o texto, no qual são citados projetos e programas estaduais em várias áreas.