Antônio Cruz/ABr
Ministra disse que não comentar deliberações do Supremo.

A ministra-chefe da Secretaria de Relações Institucionais (SRI) da Presidência da República, Ideli Salvatti, não quis comentar decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) que estão abrindo a possibilidade de haver um novo julgamento para os réus do mensalão. “As deliberações do Supremo Tribunal Federal eu não comento”, disse nesta quinta-feira (12) a ministra.

Questionada se havia preocupação por parte do governo com o fato de o julgamento do mensalão poder se arrastar até o ano que vem e atrapalhar o PT nas eleições presidenciais, a ministra respondeu: “Os poderes têm soberania, autonomia e nós temos obrigação de harmonia. Por isso é importante continuar trabalhando”.

As declarações de Ideli foram dadas no Palácio do Planalto, antes da abertura de reunião de comemoração dos dez anos do Comitê de Articulação Federativo. O ministro do STF Marco Aurélio Mello disse na manhã de hoje, em entrevista à Rádio Estadão, que acha que seus colegas de tribunal estenderão o julgamento do mensalão com o acolhimento dos chamados embargos infringentes.

“O que eu posso esperar é uma decisão apertada e a sinalização até aqui é no sentido de o tribunal admitir os embargos infringentes. Se isso ocorrer, haverá a distribuição do processo a um novo relator – não teremos revisor – e caberá a ele aparelhar o processo”, disse o ministro. Segundo o ministro, o Supremo tem muitos processos a serem julgados e não pode ficar “repetindo julgamento”.