Terminada a temporada de transmissão de cargos aos novos ministros, o PTB juntou-se nesta quarta-feira ao grupo de legendas insatisfeitas com o espaço recebido no governo. A presidente nacional do partido, Cristiane Brasil (RJ), disse que o novo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o senador Armando Monteiro (PE), é uma escolha pessoal da presidente Dilma Rousseff.

Para Brasil, apesar de Monteiro, o PTB continua sem comandar ministério algum, assim como no primeiro governo Dilma. “Ele é uma escolha pessoal da presidente Dilma”, afirmou. Cristiane Brasil disse que sua legenda irá apoiá-lo para que faça “um grande ministério”, mas afirmou que o partido é independente. “Independente, porém torcendo muito por ele”, disse.

Apesar da ressalva, o PTB levou à posse nesta quarta-feira, 7, 21 de seus 25 deputados e quatro de seus seis senadores, segundo a assessoria do novo ministro.

No início da semana, o Pros também afirmou que Cid Gomes (Educação) era uma escolha pessoal de Dilma. Já PMDB e PT boicotaram as posses de Kátia Abreu (Agricultura) e Pepe Vargas (Relações Institucionais) por não se sentirem contemplados.

Mídia

Derrotado na disputa pelo governo de Pernambuco no ano passado, Monteiro levou a Brasília um grupo de seis jornalistas dos principais veículos de comunicação de seu Estado. Ele não descarta disputar o cargo novamente.

Questionada sobre quem havia financiado passagens aéreas, hospedagem e alimentação do grupo, a assessoria de Monteiro indicou primeiro o PTB-PE, mas depois afirmou que empresários “amigos” do petebista arcaram com os gastos, cujo valor total não havia sido informado até a noite de ontem.