O presidente do PTB, Roberto Jefferson, voltou na manhã de hoje a criar polêmica entre os aliados da candidatura do tucano José Serra ao Palácio do Planalto. Na rede de microblog Twitter, o parlamentar cassado responsabilizou o presidenciável pelo que chamou de uma “dispersão” das siglas coligadas ao PSDB. “Serra é responsável pela nossa dispersão. Nunca nos reuniu”, escreveu Jefferson, afirmando ainda não ter tido contato com o candidato nesta campanha. “Quando chego a São Paulo, encontro o Sérgio Guerra, o Eduardo Jorge e o Márcio Fortes. E para aí. Nunca conversei com o Serra.”

Na rede de microblog, o presidente do PTB reconheceu que apoia Serra “a pedido” do candidato do PSDB ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin. “Eu apoio Serra a pedido do Geraldo Alckmin.” A munição de Jefferson sobrou ainda para o marqueteiro Luiz Gonzalez, responsável pela campanha de Serra na TV. O parlamentar cassado recomendou a Gonzalez que ouça “um pouco os políticos”.

Assim como a presidenciável do PV, Marina Silva, o petebista também criticou o uso de uma favela cenográfica na inserção veiculada pela campanha do tucano na TV. “Se o Gonzalez ouvisse um pouco os políticos, não poria no ar uma favela ‘fake’, nem o bobajol do Zé”, afirmou, referindo-se ao jingle da campanha de Serra.

Essa não é a primeira vez que Jefferson cria mal-estar pelo Twitter entre os aliados do PSDB nesta campanha. No mês de junho, o presidente do PTB anunciou que o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) seria o vice do candidato tucano. A indicação não havia ainda sido informada ao DEM, o que causou mal-estar entre os aliados e pressionou os tucanos a escolher o deputado federal Indio da Costa (DEM-RJ) para o posto.