Foto: Lucimar do Carmo

Doático Santos: "estarei presente onde considerar necessário".

A 12.ª Vara Cível de Curitiba determinou que o presidente do Diretório Municipal do PMDB de Curitiba, Doático Santos, fique impedido de fazer ataques pessoais ao prefeito de Curitiba, Beto Richa, nas cerimônias de inauguração de obras em comemoração ao aniversário da capital.  

A liminar concedida ontem pelo juiz Humberto Gonçalves Brito reafirmou a proibição a Doático de espalhar panfletos contra o prefeito se possuírem o mesmo teor do folheto distribuído anteriormente, além de expedir mandado de busca e apreensão do material, por considerar que o material traz ofensas pessoais a Beto.

Porém, Doático, deu a entender que vai continuar a ir às cerimônias da prefeitura e a distribuir os panfletos contra Beto. Em entrevista à Rádio CBN, ele alegou o direito de manifestação partidária. ?É uma brincadeira de mau gosto. O PMDB não será calado por ninguém, nem por ele (Beto). Eu, como cidadão brasileiro e como presidente do diretório do PMDB de Curitiba, estarei presente onde considerar necessário, distribuindo material político que considerar necessário?, declarou. Para Doático, Beto procura desinformar a população das realizações do governo de Roberto Requião (PMDB). ?Estaremos presentes onde nos atacam. Vamos mostrar nosso ponto de vista?, disse.

O advogado Jorge Pilotto, assessor jurídico de Beto, considerou as afirmações uma afronta à Justiça. ?Pelas declarações de Doático, eu suponho que ele está desafiando a ordem judicial e vai dar continuidade com os ataques ao prefeito, através de panfletos e piquetes?, declarou. Ele lembrou que a Justiça já tinha notificado o peemedebista em fins de fevereiro, para coibir a distribuição dos panfletos. A Justiça entendeu que o partido tem o direito de questionar o prefeito, mas não pode admitir que faça ataques à sua imagem pessoal.

O advogado Jorge Pilotto, assessor jurídico de Beto, afirmou que irá entrar com um processo de calúnia e difamação contra Doático, por causa da distribuição dos panfletos. ?Estamos também elaborando uma representação criminal contra Doático. Será aberto inquérito policial?, disse.

Segundo Pilotto, Doático já tinha sido citado pela Justiça na Boca Maldita em 24 de fevereiro, e deveria ter parado a panfletagem. ?Mas no dia primeiro ele foi visto no Boa Vista, quando Beto inaugurou um Centro de Apoio Psicossocial. Doático descumpriu a ordem judicial, incorrendo em crime de desobediência?, afirmou. Pilotto disse que vai pedir a punição de Doático na Justiça.

A nota do PMDB de Curitiba começou a ser distribuída no dia 15 de fevereiro, durante a sessão de abertura do semestre na Assembléia Legislativa, da qual Beto participou. E os conflitos entre o presidente municipal do PMDB e o prefeito não são novos. Começaram quando o governador nomeou Doático como assessor especial para assuntos de Curitiba, dizendo que caberia ao peemedebista acompanhar todas as ações do prefeito.