A Justiça Federal do Paraná convocou ontem os 3.804 consumidores que foram lesados pelo Consórcio Garibaldi a comparecem a uma agência da Caixa Econômica Federal para sacarem uma parcela de seu ressarcimento. Nesta primeira fase, serão proporcionalmente rateados entre os credores R$ 10,95 milhões já recuperados pela Justiça. O valor será acrescido futuramente, após a venda de dois imóveis que já foram confiscados.

Todos os consumidores que adquiriram quotas de consórcio da empresa, quitadas ou não, que não receberam o bem objeto do contrato ou a devolução integral dos valores, devem comparecer pessoalmente em qualquer agência da Caixa Econômica Federal no Brasil para efetuarem o levantamento do dinheiro. Não é necessária a contratação de advogado ou procurador.

Essa convocação inclui todos os consumidores nessa condição, mesmo que não tenham tomado qualquer medida para reaver o seu crédito. O levantamento do dinheiro deverá ser feito pessoalmente, mediante a apresentação de documentos pessoais e comprovante de residência, seguindo rigorosamente o procedimento estabelecido pela Justiça Federal. A lista com os nomes dos credores está disponível no site da justiça federal www.jfpr.gov.br/consorcionacionalgaribaldi.

O Consórcio Nacional Garibaldi iniciou suas atividades em 1989 e dois anos depois as irregularidades começaram a ser conhecidas. Em 1994, o consórcio foi liquidado pelo Banco Central e a ação começou a tramitar apenas em 2001. O ex-deputado estadual e um dos sócios do consórcio, Antônio Celso Garcia – o Tony Garcia – foi preso em 2004 pela Polícia Federal, ficando 81 dias detido.

Condenado em 2006 pela prática de crimes financeiros, Tony Garcia conseguiu a redução da pena para seis meses de serviços comunitários após colaborar com as investigações e se comprometer a indenizar os clientes lesados. Os mais de R$ 10 milhões que serão distribuídos aos credores foram depositados em juízo pelo ex-deputado no segundo semestre do ano passado.