A Justiça autorizou a libertação de todos os 62 presos pela Operação Saúde da Polícia Federal (PF) durante esta semana. Eles são empresários e funcionários públicos de diversos municípios do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Rondônia.

Eles são apontados como suspeitos de participação num esquema que teria fraudado licitações para compra de medicamentos e equipamentos hospitalares e também de desvio de recursos públicos mediante entrega apenas parcial das encomendas.

Os mandados de prisão foram cumpridos entre segunda-feira e a última quarta-feira. Como as provas que a polícia queria já estão coletadas, a Justiça entendeu que todos poderão aguardar em liberdade pela conclusão do inquérito e depois pelo possível processo.