O candidato Sérgio Oliveira Cunha, mais conhecido como Sérgio Petecão (PMN), conquistou uma das duas vagas acreanas para o Senado nas eleições do último domingo. Candidato da coligação “Liberdade e Produzir para Empregar”, ele recebeu 199.956 (30,90%) dos votos válidos. O cargo público mais recente ocupado por ele foi de deputado federal com um mandato iniciado em 2006. O apelido de Cunha surgiu por causa da sua cabeça grande.

A carreira política de Petecão iniciou-se há 26 anos, quando ele se candidatou a vereador por Rio Branco, mas não foi eleito. Em 1994, ele foi eleito deputado estadual e permaneceu na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) por três mandatos. Petecão fez parte da Frente Popular do Acre no período, coligação que há 12 anos está à frente da gestão estadual, e com a vitória de Tião Viana garante mais quatro anos.

Mesmo fazendo parte do PMN, um partido nanico nacionalmente, Petecão sempre soube articular suas alianças no Acre e deu expressividade à legenda no Estado. Utilizando o slogan “100% Popular”, o mesmo de quando foi candidato à Prefeitura de Rio Branco, o senador eleito afirma que aceitou o desafio de disputar uma das vagas em oposição à Frente Popular do Acre, que tem entre os partidos PT e PC do B, para “tentar mostrar que os membros da Frente não têm tudo”.