Uma liminar concedida na noite de ontem suspendeu a sessão extraordinária da Câmara Municipal de Cascavel marcada para este sábado para julgar o pedido de cassação do prefeito Edgar Bueno (PDT) por suspeita de fraude na licitação para a compra de uniformes escolares para a rede municipal de ensino. Curiosamente, a liminar foi pedida pelos mesmos autores do pedido de cassação.

Os autores alegaram impedimento do presidente da Câmara, Marcos Damaceno (PDT) para conduzir a sessão. Além de ser do mesmo partido do prefeito, Damaceno é sobrinho da primeira-dama Lorita Bueno. Para evitar que o presidente influenciasse a condução do processo, a juíza da 5.ª Vara Cível, Lia Sara Tedesco, acolheu o pedido dos eleitores que propuseram a ação, determinando o afastamento do presidente da Mesa Diretora, vereador Marcos Damaceno (PDT). Conforme o texto da liminar, em qualquer julgamento de crimes de responsabilidade contra gestores públicos é impedido o envolvimento de parentes até de quarto grau.  

“Restou comprovado nos autos que há relação de parentesco por afinidade em terceiro grau entre o presidente da Câmara Municipal e o prefeito, o qual figura como requerido no pedido de cassação enviado à Câmara Municipal (tio e sobrinho)”, despachou a juíza.

Assim, a próxima sessão da câmara será conduzida pelo vereador Paulo Bebber (PR), que é o vice-presidente da Mesa. Caberá a Bebber marcar a data para a sessão que avaliará o processo de cassação.