O senador Lindberg Farias (PT) defendeu, na manhã desta segunda-feira (07) a saída imediata de seu partido do governo Sérgio Cabral (PMDB), no qual ocupa as secretarias de Assistência Social e do Ambiente. Lindberg tenta se lançar candidato ao governo do Estado do Rio no ano que vem. Já Cabral lançou seu vice, Luiz Fernando Pezão (PMDB), para sucedê-lo.

“O ato de repressão da polícia aos professores na semana passada é um divisor de águas e muda a política do Rio. O PT tem que sair desse governo imediatamente. Os partidos de esquerda precisam se posicionar. Nos últimos 15 anos, participei praticamente de todas as passeatas no centro e nunca vi a Câmara de Vereadores cercada daquela forma. Faltou pudor aos vereadores que aceitaram votar naquela circunstância”, disse o senador, que participou na sede da seção Rio da OAB de um ato de repúdio à violência policial nas manifestações.

Lindberg afirmou que vai exigir que o PT vote ainda nessa semana a entrega dos cargos que ocupa no governo Cabral. Indagado qual o impacto que a filiação da ex-ministra Marina Silva ao PSB terá na eleição para o governo do Rio, Lindberg disse que vai tentar obter o apoio da nova cúpula do partido no estado à sua candidatura.